A Rede Kigali

A Rede Kigali promove ações ligadas à melhoria da eficiência energética de aparelhos como ares-condicionados e refrigeradores como forma de reduzir o consumo de energia de fontes poluentes, responsável por emissões de gases de efeito estufa que causam o aquecimento global. Também atua na redução do uso de fluidos refrigerantes com alto potencial de aquecimento global nesses equipamentos, objeto da Emenda de Kigali.

A Rede Kigali tem como propósito promover a eficiência energética como um instrumento para atingir múltiplos benefícios para a sociedade brasileira e para o consumidor.

A eficiência energética, e as políticas e os mecanismos que a promovem, são tratados pela Rede Kigali não como um fim em si mesma, mas como um meio com diversos objetivos:

- Oferecer para os consumidores aparelhos mais baratos e mais econômicos no consumo de eletricidade; - dinamizar os setores econômicos envolvidos com a realização de investimentos em inovações tecnológicas, geração de emprego, aumento da produtividade e competitividade;

- Adicionar valor à economia nacional e reduzir a pressão da demanda e das perdas associadas sobre a cadeia do setor elétrico nacional e local;

- Reduzir os impactos socioambientais locais dessa pressão pela exploração de recursos naturais e os impactos globais pelas emissões de gases de efeito estufa.

A atuação da Rede Kigali é consistente com esses objetivos independente do aparelho ou do equipamento cujas políticas estejam sendo revisadas, levando em conta que cada um deles possui suas particularidades tecnológicas e de atores que imprimem uma dinâmica própria.

A Rede Kigali é composta pelo Instituto Clima e Sociedade (iCS), Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), International Energy Initiative - IEI Brasil, CLASP, consultoria Mitsidi, Projeto Hospitais Saudáveis (PHS) e rede de jovens Engajamundo.